Aqui no Brasil, tradições, costumes e coisas de Portugal...  »»»  Coisas da Nossa Terra  «««       
 

 

    Inicio  
       
    Portugal  
       
  Rádio    
       
  Gastronomia    
       
  Curiosidades

 

 

 

 
 

Noite de natal dormindo em papelão

 

No final da rua, da bela cidade iluminada,

abrigado do frio, em metades de papelão

está uma criança, sozinha, desamparada.

Na mão direita segura um pedaço de pão.

Na esquerda um copo com sopa, aguada.

É noite de natal e alguém por ali passou

e com algum carinho lhe deixou…

Ana Ferreira (22/12/2010)

 

 

 

Sou da minha terra

 

Eu sou do dia que amanhece

Sou da minha nobre terra

Sou do céu que agora escurece

E da beleza que ele encerra

Sou deste ar frio que apetece.

 

Sempre quis voltar onde nasci

Rever esta lareira velha e quente

Recordar a infância que vivi

No seio, no calor da minha gente,

A essência que nunca esqueci.

 

Sou do vento noturno, sussurrante

Por entre as oliveiras, alegre, uivante!

Sou do lindo trinar da guitarra

Quando a ouço tocar em desgarrada.

Sou do pirilampo, doce e cintilante.

 

Sou desta terra fria, sempre bela,

Graciosa como o caminhar da gazela!

Pertenço às flores, ao ar cheiroso

Do frio amanhecer no alto da serra,

Sou da chuva, do seu manto nebuloso!

 

Por toda a minha vida quero ser

Do lindo céu azul da minha terra,

Sempre, até ao dia em que morrer!

Esteja onde estiver, por ti anseio

O último sono quero dormir, no teu seio!

 Ana Ferreira (13/12/2010)

 

 

  

De entre todas as rosas

 

De todas as rosas

Para mim, tu és,

A mais rara e formosa.

E por seres rara

És tão preciosa!

Minha linda e rara rosa

Catarina,

Minha filha tão formosa!

Ana Ferreira  ( 21/11/2010)

 

 

 

Todo regaço de mãe é mistério

onde adormecem nossos sonhos 

(Ana Ferreira)

 

Mãe

 

Cândura maternal, amor de mãe,

Sentimento lindo e profundo,

Não há, não pode haver maior Bem

Ele é o amor maior do mundo!

 

Nada se compara a esse amor,

Quando ele chega, já é de graça,

Obra prima, pura do Criador,

Se perdermos, a dor nos despedaça.

 

Todo o instinto de mãe é mistério

Seu amor manda embora a tristeza,

Traz junto consigo imenso fascínio,

Tocando nosso coração com delicadeza,

 

Mãe, sublime imagem da ternura,

De todas, a mais pura emoção!

Mãe, a mais doce criatura

Que conheceu nosso coração!

 

Amor de mãe, amor profundo,

Tão completo, tão singular,

A mãe tantas vezes ri para o mundo

Sentindo vontade de chorar.

 

Coração de mãe tem um canto

Onde guarda alegrias e dores,

Coração de mãe faz de seu pranto

Um belo jardim de flores.

 

Toda mãe merece respeito,

Esteja ela onde estiver,

De seus filhos por direito,

Por ser mãe e ser mulher.

 

Para ti mãe,  minha prece

Meu coração agradecido

Toda a vida não mais esquece

O carinho e amor recebido.

 

A todas as mães: minhas lembranças

Este verso e muitas rosas,

No coração de vossas crianças

Vós sois as flores mais formosas!

 

Amor maternal, amor profundo,

Imenso, infinito como o céu

Não há amor maior no mundo

Do que esse, que a mãe nos deu.

Ana Ferreira  (15/11/2010)

 

 

 

Pai Querido

 

Aqueles a quem devo a vida,

merecem e sempre tiveram o meu respeito,

minha gratidão e meu amor.

Nunca os esquecerei, minha mãe, meu pai,

Estão sempre presentes em mim,

Sempre os amarei.

 

Pai querido, esta manhã, a esta mesma hora em que te escrevo,

estás deitado numa cama de hospital, no setor cirúrgico,

Sei como te deves ter sentido nos últimos dias: frágil e triste...

Não posso estar ao teu lado... um oceano imenso nos separa!

Pai... quisera ter-te conhecido melhor,

dizer-te mais vezes o quanto te amo!

Quem me dera ter-te dado muitas mais alegrias...

Pai...

Sinto saudades de ti... pai...

Saudades de te abraçar, saudades de te ver sorrir,

saudades de ver teus olhos... saudades da tua voz,

de te ouvir falar, de te ver trabalhar...

De te ver envelhecer...

Ah, como os fios dos teus cabelos

estavam tão brancos, da última vez que te vi!

Ver-te chegar em casa,

e como a nossa casa é uma casa cheia...!

 

Pensar em ti meu pai, é pensar em amor... 

Falar sobre ti meu pai, é falar de amor...

Sentir tua falta é algo inexplicável.

Hoje sei que teus conselhos eram para o meu bem..

Pai... eu sinto tantas saudades de ti!

Sinto o coração tão apertado dentro do peito!

 

Pai daria tudo para te poder ver agora,

neste momento, estar a teu lado,

poder acompanhar-te, nessa cama de hospital,

como sempre te acompanhei.

Tua mão segurar, tua voz ouvir...

Podermos conversar,

falar um pouco de mim, ouvir um pouco de ti.

Tenho tanto para te dizer,

meu pai, meu eterno amigo,

Será essa a lembrança que levarei sempre comigo...

Nunca te esquecerei...

E sempre te amarei!

Ana Ferreira  (21/10/2010)

 

 

 

Perdi teu sorriso nos trilhos da minha vida

 

Percorrendo os trilhos da minha vida

Perdi teus sorrisos, perdi teus abraços...

Minha vida ficou mais pobre na despedida

O sol não mais me mostrou teus passos.

 

A minha volta as aves deixaram de voar

E, entre os trilhos, sozinha andei perdida,

Perdi-me... para não mais encontrar

No labirinto desta vida, a saída!

 

Perdi eu, perdeste tu, perdemos nós,

As flores, a quimera, de um tão lindo amor

Amor sublime entre uma filha e sua mãe!

 

Hoje, jaz, quase sem, esperança minha voz

E meus olhos já sem brilho e sem cor

Só esperam a Paz que da eternidade vem!

Ana Ferreira  (20/10/2010)

 

 

 

PAI QUERIDO

 

Pai...

Tantas palavras eu queria te dizer,

Cresci ao teu lado e o tempo passou,

E não sobrou tempo nem coragem

para dizer o quanto tu és importante,

na minha vida...

Pai... nos momentos mais difíceis de

minha vida... estavas do meu lado!

Nos momentos de alegria,

estavas do meu lado.

E hoje neste teu dia,

gostaria muito de estar aí...

Palavras não tenho para expressar

Como é grande meu amor por ti!

Palavras não encontro para dizer-te

o quanto és importante para mim!

Apenas sei dizer

Que te amo muito!

 

Feliz Dia Pai querido!

Ana Ferreira (08/08/2010)

 

 

 

No colo da minha mãe

 

Senti uma saudade infinita do colo de minha mãe...

com uma vontade de deitar ali e ficar bem quietinha

deixando minha mãe me fazer um carinho...

Quando me sinto assim peço a Jesus que me empreste

só por um instante o colo do Pai... 

e que nele me deixe descansar os pensamentos...

E nesses momentos,

me sinto aconchegar verdadeiramente

no próprio colo do Pai,

colo de amor e ternura,

onde encontro toda a segurança necessária para minha vida,

toda a força que preciso para continuar meu caminho.

Olhando para minha história percebo o quanto

o  Pai Eterno sempre cuidou de mim.

Ele sempre esteve por perto em todos os momentos de minha vida.

Ele nunca me abandonou.

Com seu jeito discreto, simples, d

e Pai que protege, ampara, vela, s

empre esteve aqui do meu lado,

cuidando para que eu nunca passasse mal.

E Jesus sempre foi o portador das promessas de Deus em minha vida.

Sei e tenho certeza que tudo me vem pelas mãos d`Ele.

Tudo eu encontro no colo da Pai... amor, carinho, compreensão.

Nesse colo encontro defesa e  nele supro todas as  carências.

É por isso que sempre que estou triste,

angustiada, saudosa, procuro buscar o Seu colo.

Ali eu me aconchego,

encosto minha cabeça em Seu peito

e escuto as batidas tão serenas do Seu coração,

que para mim é como canção de embalar

que vai me acalentando e devolvendo a paz.

Deixo-me envolver por tão sublime amor

que só Ele pode me oferecer.

E então nesse colo carinhoso

eu posso obter algo maravilhoso,

um repouso santo e tranqüilo...

como teria no saudoso colo de minha mãe...!

Ana Ferreira  (24/11/2009)

 

 

 

Para ti Cândida, minha cândida mãe!

 

Neste Domingo de Maio

Qualquer rosa cheira bem

Mas a mais bela de todas

É pra te oferecer, minha Mãe!

 

Esta rosa te quero dar

E carinho, amor, alegria…

Quero-te ver muito feliz

Hoje, que é o teu dia!

 

Quero dar-te esta poesia

Cheia de amor, mãe querida

Para que a guardes em ti

Por tua a tua vida!

 

Mãe!…Que linda palavra esta!

Quando ela é proferida

Soa musica no ar

Há sorrisos a bailar

E toda a casa fica em festa!

 

Mãe, quanto eu gosto de ti!

Sabes bem o quanto te adoro!

Quando ris , rio contigo

E se choras, também choro!

 

Nasci e cresci contigo

Os teus caminhos segui;

Quando vi a luz do mundo

Teus olhos, os primeiros que vi!

 

Cresci sempre do teu lado

Pobre, mas nada me faltava,

Num lar feito de alegria.

E quando o frio ameaçava

O teu amor nos aquecia!

 

E assim eu fui crescendo

Confiante na tua mão

E na tua verdade.

Quando me lancei para o mundo

E enfrentei a dificuldade

Nunca me esqueçeste em tua oração.

 

Quem tem uma mãe a seu lado

nunca saberá avaliar

Que tem o mais valioso tesouro

Que alguém pode encontrar!

Ana Ferreira  (08/05/2009)

 

 

  

Luz dos  meus olhos... meu filho Alexandre!

 

Se fosses uma melodia, serias certamente o alegre e

timbrado canto do  rouxinol!

 

Se fosses um sentimento, serias certamente a Alegria com

que me contagias!

 

Se fosses um sabor, serias certamente Mel,

 

Se fosses um aroma, serias certamente o suave perfume

das acácias,

 

Se fosses uma flor, serias certamente amor-perfeito,

 

Se fosses uma cor, sem duvida que serias o suave verde

da Esperança,

  

Se fosses um som, serias o alegre som da água do riacho a

correndo por  entre as pedras...

 

Se fosses uma estrela, serias a estrela alva da manhã...

 

Para mim és tudo isso e muito mais,

És e serás sempre

 

O meu amor,

A luz dos  meus olhos...

meu filho Alexandre!

Ana Ferreira  (07/09/2008)

 

 

 

Procurei…

 

Procurei nas brumas do tempo,
razão para a vida, para o sofrimento.
Busquei em todos os lugares, por onde passei 
tentando encontrar o que por lá deixei.

Procurei no meu abrigo seguro
Procurei nos dias de vento 
Busquei em todos e em tudo
E só achei meu lamento.

Procurei, no escuro, como cego sem guia,
Tanto procurei e nada eu via.
Em muitos lugares onde passei,
Nunca nada eu encontrei.

Procurei nas pessoas,
Que encontrei no caminho,
Mas o resultado
Foi continuar sozinho.

Procurei no amigo sincero,
Procurei no rosto mais belo
E para meu meu sofrimento.
Apenas encontrei tormento.

Procurei na alma mais amiga
sem parar, fosse noite, fosse dia,
E finalmente encontrei.
A minha doce companhia!

Ana Ferreira ( Janeiro 2001)

 

 

 

Minha avó…

 

De trajes escuros, da cor do carvão.

Minha avó

De panos escuros,

Viveste toda uma vida de solidão!

 

Sempre de luto,

Toda tu foste Tristeza

Sempre de luto,

Por fora e… também por dentro

Disso tive sempre a certeza!

 

Tuas mãos de pele encarquilhada,

Tuas mãos calosas da enxada

Tuas mãos enegrecidas…

Pelo sol, pelos anos e pela terra!

 

Tuas mãos que desfiaram tantas vezes

As contas gastas

De um rosário tão velhinho…

Não fazias mais que orar…por mim

E por todos que cruzaram teu caminho!

 

Teus olhos cedo perderam o brilho

E da tua mocidade…

Apenas te restou um par de brincos,

Duas argolas de ouro

Tão velhas e amolgadas…

E também a saudade…!

 

De  um manto de luz e de magia,

Nos nossos longos serões,

O luar teu rosto cobria…

 

E eu via o mundo em teus olhos

Tão tristes e sábios…

Abrias teus lábios para histórias

Tão velhinhas me contares,

Histórias da tua vida, avózinha

Então eu via que tu, tudo sabias e que,

O que eu sabia de ter lido nos livros,

Tu tinhas gravado na tua carne,

Já de rugas tão coberta…!

 

Tua voz sempre foi tão cheia de certezas…

E teu olhar sempre foi tão sábio!

Quando partiste senti o vazio…

A tristeza de uma infinita saudade…

Porque levou Deus tão cedo da minha vida

O símbolo do Amor e da Bondade?

 

De ti me ficou o maior tesouro deste mundo:

Um velho lindo par de brincos...

Duas argolas de ouro amolgadas

Que eu guardo e uso com um amor profundo…!

(Ana Ferreira, Abril 1990)

Flor do Lácio

Última Flor do Lácio…

meiga e fugidia donzela

Deixaste teu real palácio

Onde, entre todas, eras a mais bela!

 

Última Flor, com inebriante aroma

Abandonaste o berço do latim…

Para seres de um povo seu idioma

O qual tem por ti, Amor sem fim! 

 

      Ana Ferreira,  07/11/2009